terça-feira, 30 de julho de 2019

GNU/Linux - Algumas distribuições deste ano

O GNU/Linux é um sistema altamente customizável. A própria comunidade altera uma determinada distribuição, termo conhecido como fork, e disponibiliza ao público.

Confira 5 distribuições da familia Debian que tiveram atualizações recentes este ano.



Privacidade

Para aqueles que preferem maior segurança temos:

Tails - O The Amnesic Incognito Live System é uma distribuição baseada no Debian que o usuário instala no pendrive ou DVD e a utiliza para navegar de forma segura. Possui boa documentação em português e a atualização ocorre em média a cada 6 semanas. Contudo, o usuário deve estar ciente da advertência sobre em que casos ele não protege.

Whonix - Trata-se de um sistema operacional baseado no Debian desenvolvido para ser executado dentro de máquina virtual que utiliza-se do Tor e outras ferramentas para garantir anonimato na Internet. A documentação de uso da distribuição é em lingua inglesa.

Após um mês do lançamento da versão estável do Debian, a nova versão do Whonix é disponibilizada para upgrade. Você deve ler o aviso de limitações de segurança para entender o contexto no qual a distribuição deixa a desejar.

Uso Comum

MX Linux vem crescendo ultimamente entre a comunidade, tanto que está em primeiro no site DistroWatch nesses últimos doze meses. É um sistema operacional baseado na versão estável do Debian utilizando a interface gráfica XFCE 4. Possui algumas ferramentas e um painel interessante, é leve e rápido.

Com a jução de usuários da MEPIS, do core do sistema antiX e o envolvimento de sua comunidade, em 2014, surgiu a primeira versão da distribuição MX.

Possui boa documentação em inglês, ferramentas de desenvolvimento e colaboração, que auxiliam o engajamento da comunidade em seu crescimento.


O Q4OS é um sistema operacional baseado na versão do Debian LTS com suporte e atualizações de 5 anos. Para desktops/laptops há duas interfaces: TDE (Trinity Desktop Environment) baseada no fork do KDE 3.5 (também utiliza o fork do Qt3 nomeado para TQt) e a KDE Plasma.

Com foco em usuários migrando do Windows, inclusive de empresas, o ambiente gráfico foi desenhado com a organização similar ao Windows 2000, facilitando assim uma transição suave para o mundo GNU/Linux. A personalização de tema pode ser feita no painel de controle, e também, pode-se instalar o aplicativo XPQ4 que disponibiliza temas mais completos do Windows.

A versão de instalação com ambiente TDE tem por alvo computadores antigos com um mínimo de 300MHz de CPU, 128MB de RAM e 3GB de disco. Já a versão KDE Plasma, possui recursos gráficos mais avançados necessitando de no mínimo de 1GHz de processamento, 1GB de RAM e 5GB de disco.

O instalador permite que o usuário selecione entre três tipos de configuração: apenas o sistema, sistema com poucos aplicativos e sistema com todos aplicativos da distribuição.


Feren OS é uma distribuição britânica, baseada no Ubuntu com a interface Cinnamon que foi concebida para ser um substituto do sistema Windows e MacOS. Na questão de segurança, as atualizações ocorrem em segundo plano, sem intervenção do usuário, garantindo assim, um sistema sempre atualizado.

O diferencial são os temas completos do Feren OS, prontos para Windows, MacOS e alguns GNU/Linux como a interface do Mint e do Chrome OS.


Você acaba de conferir alguns sistemas interessantes com atualizações em 2019. Para mais informações sobre o mundo GN/Linux, leia também o artigo Usar ou Não Usar o Linux.

Reações:
Categorias:

0 comentários: